Portada del podcast

Rádio orgulho

  • Tailândia legaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo

    18 JUN. 2024 · https://orgulhoradio.com.br/ twitter.com/radioorgulho instagram.com/radioorgulho/ facebook.com/orgulhoradio TIKTOK @radioorgulho A Tailândia se tornará a primeira nação do Sudeste Asiático a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo depois que o Senado do reino aprovou um projeto de lei de igualdade no casamento na terça-feira, com apoiadores chamando-o de “um avanço monumental para os direitos LGBTQ+”. O Senado votou esmagadoramente a favor da aprovação do projeto após a leitura final, com 130 senadores votando a favor. Apenas quatro membros se opuseram ao projeto. O projeto de lei ainda exige o endosso do rei antes que a igualdade no casamento se torne realidade na Tailândia, mas este processo é considerado uma formalidade. A lei entrará em vigor 120 dias após a sua publicação no Diário Real. O resultado da votação significa que a Tailândia se tornará apenas o terceiro lugar na Ásia a permitir a igualdade no casamento, depois de Taiwan ter legalizado o casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2019 e do Nepal em 2023 . Fonte CNN Internacional
    Escuchado 1m 6s
  • Liniker: Uma Voz Transcendente na Música Brasileira

    17 JUN. 2024 · Em meio à efervescente cena musical brasileira, uma figura se destaca por sua autenticidade, talento e representatividade: Liniker de Barros Ferreira Campos, conhecida simplesmente como Liniker. Nascida em 3 de julho de 1995, em Araraquara, interior de São Paulo, Liniker trilhou um caminho singular, marcado pela superação de desafios e pela conquista de um espaço único na música e na cultura do país. Desde a infância, Liniker demonstrou uma paixão pela música, encontrando na arte uma forma de expressão e conexão com o mundo. Influenciada por artistas como Elza Soares, Tim Maia e Nina Simone, a jovem Liniker começou a desenvolver seu próprio estilo musical, marcado pela mistura de soul, MPB, R&B e elementos da black music. Em 2015, Liniker ganhou notoriedade nacional com o lançamento do EP "Cru", produzido de forma independente e divulgado na internet. O trabalho trazia canções como "Zero", "Louise du Brésil" e "Caeu", que rapidamente conquistaram o público e a crítica, chamando a atenção para a voz potente e a presença marcante da artista. O sucesso de "Cru" abriu portas para Liniker e sua banda, Liniker e os Caramelows, que passaram a se apresentar em palcos por todo o Brasil, levando sua música e sua mensagem de empoderamento para um público cada vez maior. Em 2016, o grupo lançou o álbum "Remonta", consolidando sua posição como um dos principais nomes da nova geração da música brasileira. A representatividade de Liniker como mulher transgênero negra na música brasileira é um marco importante na luta por igualdade e visibilidade da comunidade LGBTQIA+. Suas letras abordam temas como amor, identidade, liberdade e superação, ecoando as experiências de muitos que se identificam com sua trajetória. Liniker se tornou um ícone para a comunidade LGBTQIA+, inspirando jovens a se aceitarem, a lutarem por seus direitos e a buscarem seus sonhos. Sua presença nos palcos e na mídia contribui para a quebra de estereótipos e preconceitos, abrindo caminho para uma sociedade mais inclusiva e diversa. Além da música, Liniker também se dedica à atuação, participando de filmes e séries que abordam temas relevantes para a sociedade. Sua voz e sua imagem se tornaram símbolos de resistência e esperança, ecoando em cada canto do país e além de suas fronteiras. Em 2023, Liniker foi indicada ao Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa, pelo álbum "Indigo Borboleta Anil". A trajetória de Liniker é uma história de superação, talento e representatividade. Sua música e sua presença inspiram e transformam, mostrando que a arte pode ser um poderoso instrumento de mudança social. Liniker é, sem dúvida, uma das vozes mais importantes da música brasileira contemporânea, e sua contribuição para a cultura e a sociedade do país é inestimável.
    Escuchado 4m 3s
  • Explícito

    Houthis condenam homossexuais a morte por Crucificação, Apedrejamento, e flagelação pública

    14 JUN. 2024 · Os rebeldes houthis, do Iêmen, condenaram à morte nove pessoas acusadas de sodomia, com penas que incluem crucificação e apedrejamento, denunciou a organização não governamental (ONG) Human Rights Watch (HRW).Além das penas de morte, os houthis - que controlam parte significativa do país - condenaram 23 homens à prisão e aplicaram penas que vão até os dez anos. Três deles serão submetidos à flagelação pública.O grupo armado rebelde houthi assumiu o controle da capital do Iêmen, Sana, em setembro de 2014, provocando a fuga do governo iemenita que é reconhecido pela comunidade internacional.De acordo com o Monitor Euro-Mediterrâneo dos Direitos Humanos, os tribunais houthis condenaram 350 pessoas à morte na última década e 11 já foram executadas.“Para encobrir sua brutalidade, os houthis acusam as pessoas de atos imorais, especialmente aqueles que se opõem” ao regime, disse Jafarnia.Além disso, a ONG documentou violações graves cometidas por governos do Oriente Médio e do Norte da África contra homossexuais, bissexuais e transgênero (LGBT+) ao utilizarem “fotos digitais, conversas e informações semelhantes obtidas de forma ilegal” para condená-los.
    Escuchado 1m 38s
  • Dica de Filme: Priscilla, a Rainha do Deserto

    14 JUN. 2024 · Em 1994, o mundo conheceu "Priscilla, a Rainha do Deserto", um filme australiano que se tornaria um marco na representação LGBTQIA+ no cinema. A história segue a jornada de duas drag queens, Tick/Mitzi (Hugo Weaving) e Adam/Felicia (Guy Pearce), e uma mulher trans, Bernadette (Terence Stamp), que embarcam em uma aventura a bordo de um ônibus apelidado de Priscilla, rumo a um show no coração da Austrália.A narrativa, além de divertida e extravagante, aborda temas como preconceito, autoaceitação e a importância da amizade. Ao longo da viagem, o trio enfrenta o conservadorismo e a homofobia de algumas cidades interioranas, mas também encontra acolhimento e apoio em lugares inesperados.A importância de "Priscilla" para a comunidade LGBTQIA+ é inegável. O filme foi um dos primeiros a apresentar personagens queer de forma tridimensional e complexa, indo além dos estereótipos e caricaturas comuns na época. A jornada de Tick, Adam e Bernadette é uma metáfora para a busca por identidade e aceitação, algo com que muitos membros da comunidade se identificam.Além disso, "Priscilla" trouxe visibilidade para a cultura drag e para a realidade das pessoas trans, temas que ainda eram pouco explorados no cinema mainstream. A estética colorida e extravagante do filme, com figurinos icônicos e performances musicais memoráveis, ajudou a quebrar barreiras e a celebrar a diversidade.Mesmo após três décadas de seu lançamento, "Priscilla, a Rainha do Deserto" continua sendo uma obra relevante e inspiradora. O filme nos lembra da importância de lutar por nossos direitos, de celebrar quem somos e de encontrar nossa própria "tribo", mesmo em lugares improváveis. Seja em um ônibus colorido no deserto australiano ou em qualquer outro lugar do mundo, a mensagem de "Priscilla" ecoa: o amor, a amizade e a autoaceitação são as chaves para a felicidade.
    Escuchado 2m 38s
  • SBT Altera normas e passa a aceitar casais gays em programa de namoro

    11 JUN. 2024 · O Brasil Scenes descobriu que o SBT alterou esta regra na emissora e agora aceita casais homossexuais em um programa de namoro. Atualmente, a emissora exibe o “Match Forte” no “É Tudo Nosso” e exibirá em breve uma nova versão do “Namoro da TV”, no “Programa Silvio Santos”. Ainda não há o conhecimento sobre qual será, mas já da para cravar que, pelo menos um desses programas, passará a ter casais gays entre os participantes.
    Escuchado 56s
  • Amy Winehouse: A Voz Que Ecoa Além do Tempo #AmyForever

    10 JUN. 2024 · Amy Jade Winehouse, um nome que ressoa com a mesma intensidade de sua voz marcante, deixou uma marca indelével no mundo da música e na cultura pop. Nascida em Londres, em 14 de setembro de 1983, Amy era uma força da natureza, uma artista cuja paixão e talento transbordavam em cada nota que cantava.Sua jornada musical começou cedo, com influências que iam do jazz ao soul, moldando seu estilo único e inconfundível. Com seu álbum de estreia, "Frank" (2003), Amy conquistou o Reino Unido com sua voz poderosa e letras confessionais. Mas foi com "Back to Black" (2006) que ela alcançou o estrelato internacional, tornando-se um ícone da música contemporânea.As canções de Amy eram verdadeiros hinos de amor, perda e superação, cantadas com uma sinceridade crua que tocava o coração de milhões. Sua voz, rouca e cheia de emoção, era capaz de transmitir a dor e a beleza da vida de uma forma que poucos artistas conseguem.No entanto, a vida de Amy também foi marcada por turbulências. Seus relacionamentos conturbados e a luta contra o vício em drogas foram amplamente divulgados pela mídia, criando uma imagem complexa e controversa da artista. Mas, apesar dos desafios, Amy nunca deixou de criar música e expressar sua verdade através de sua arte.Em 23 de julho de 2011, o mundo perdeu Amy Winehouse prematuramente, aos 27 anos. Sua morte foi um choque para fãs e admiradores, mas seu legado musical continua vivo e inspirando novas gerações de artistas.O Legado de Amy WinehouseA importância de Amy Winehouse para a música pop é inegável. Sua voz única, suas composições honestas e sua personalidade marcante a tornaram uma figura icônica e influente. Ela quebrou barreiras e desafiou convenções, abrindo caminho para outras artistas femininas que se recusavam a se encaixar em moldes pré-estabelecidos.Amy também se tornou um símbolo para a comunidade LGBTQIA+. Suas letras, que falavam abertamente sobre amor e sexualidade, ressoaram com muitos membros da comunidade, que se identificavam com sua luta por autenticidade e liberdade. Sua música se tornou uma trilha sonora para a luta por igualdade e aceitação, e sua figura, um ícone de representatividade e empoderamento.Amy Winehouse e a Rádio OrgulhoA Rádio Orgulho se orgulha de celebrar a vida e o legado de Amy Winehouse. Sua música é uma parte importante da nossa programação, e sua história de vida, uma inspiração para todos que lutam por seus sonhos e pela liberdade de ser quem são.Amy Winehouse foi muito mais do que uma cantora, ela foi uma voz para os marginalizados, um símbolo de resistência e uma artista que deixou um legado eterno na música e na cultura pop. Sua música continua a nos emocionar e inspirar, e seu espírito livre e rebelde continua a ecoar em nossos corações.
    Escuchado 3m 9s
  • Allek Porto Fala de Novos Projetos para 2024

    8 JUN. 2024 · veja tambem no Youtube
    Escuchado 6m 26s
  • Escuchado 1m 59s
  • Programa incentiva emprego para a população LGBTQIA+ terão investimento de R$ 8,5 milhões

    3 JUN. 2024 · O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania anunciou programas para garantir a dignidade e a inserção no mercado de trabalho de pessoas LGBTQIA+.São eles: Acolher+, para a população e situação de rua ou que foi expulsa de casa; o Bem Viver+, de enfrentamento e combate à violência; e Empodera+, para capacitação e geração de renda.A secretária nacional dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+, Symmy Larrat, explicou que este é o início de uma jornada que possibilitará a construção de uma política nacional de direitos das pessoas LGBTQIA+. 
    Escuchado 2m 26s
  • TGEU (Trangender Europe) lança Mapa de Direitos Trans 2024 que revela polarização nos direitos trans na Europa e na Ásia Central

    3 JUN. 2024 · Hoje, o TGEU (Trans Europe and Central Asia) lança a sua atualização anual do https://transrightsmap.tgeu.org/home/ , que documenta a situação jurídica das pessoas trans na Europa e na Ásia Central.Os dados deste ano mostram polarização nas proteções legais para pessoas trans. Há progressos contínuos em muitos países, embora menos em comparação com 2023, e algumas regressões alarmantes noutros, o que exige atenção. O TGEU aplaude as ações dos estados que melhoraram a proteção e os direitos humanos das pessoas trans em 2024, especialmente a Grécia , que fez bons progressos este ano, e a Islândia , que liderou a classificação pelo segundo ano consecutivo . No entanto, a Rússia é um exemplo particularmente preocupante de um país onde os direitos humanos das pessoas trans sofreram uma erosão significativa no último ano. A https://tgeu.org/tgeu-deeply-concerned-by-russian-ban-of-medical-and-legal-transition/ é mais uma escalada no ataque à comunidade trans na Rússia e aos territórios ocupados pela Rússia na Ucrânia.  Veja a estatística completa no : https://tgeu.org/tgeus-trans-rights-index-map-2024-reveals-polarisation-in-trans-rights-in-europe-and-central-asia/
    Escuchado 1m 24s

https://www.orgulhoradio.com.br/ Somos a Rádio Orgulho, a sua nova estação de rádio feita por e para a comunidade LGBTQIA+!Acreditamos que a música e o entretenimento têm o poder de unir as...

mostra más
https://www.orgulhoradio.com.br/

Somos a Rádio Orgulho, a sua nova estação de rádio feita por e para a comunidade LGBTQIA+!Acreditamos que a música e o entretenimento têm o poder de unir as pessoas, celebrar a diversidade e amplificar as vozes que muitas vezes são silenciadas.Na Rádio Orgulho, você vai encontrar:
  • Música de artistas LGBTQIA+ de todos os gêneros e estilos: Damos prioridade aos nossos talentos locais, mas também trazemos para você o melhor da música nacional e internacional que representa a nossa comunidade.
  •  
  • Clássicos LGBTQIA+: Relembre as músicas que marcaram a história da luta pelos direitos LGBTQIA+ e cante junto com a gente!
  •  
  • Notícias e informações relevantes para a comunidade: Mantenha-se atualizado sobre os últimos acontecimentos que afetam a nossa comunidade e participe de debates importantes.
  •  
  • Programas de entretenimento com apresentadores LGBTQIA+: Diversão garantida com entrevistas, humor, concursos e muito mais!
Nossa logo, uma seta rosa, é um símbolo poderoso:
  • Representa a resistência e a luta da comunidade LGBTQIA+ contra a opressão e a discriminação.
  •  
  • É um símbolo de orgulho e visibilidade: celebramos nossa identidade e existimos com orgulho!
  •  
  • É um convite à ação: junte-se a nós na luta por um mundo mais justo e igualitário para todos!
A Rádio Orgulho é muito mais que uma estação de rádio:
  • É um espaço de acolhimento e pertencimento: Aqui você se sentirá seguro e aceito por quem você é.
  •  
  • É um lugar para celebrar a nossa cultura e diversidade: A música, a arte e a comunidade LGBTQIA+ são ricas e vibrantes, e queremos compartilhar isso com o mundo.
  •  
  • É uma ferramenta para a mudança social: Através da música, do diálogo e da informação, podemos promover a igualdade e o respeito à diversidade.
Junte-se a nós na Rádio Orgulho!
A Rádio Orgulho: A voz da nossa comunidade!
mostra menos
Contactos
Información

Parece que no tienes ningún episodio activo

Echa un ojo al catálogo de Spreaker para descubrir nuevos contenidos.

Actual

Portada del podcast

Parece que no tienes ningún episodio en cola

Echa un ojo al catálogo de Spreaker para descubrir nuevos contenidos.

Siguiente

Portada del episodio Portada del episodio

Cuánto silencio hay aquí...

¡Es hora de descubrir nuevos episodios!

Descubre
Tu librería
Busca